Vínculo com a igreja:

Recado ao leitor:

Vídeo do mês:

jesusnafamilia no WhatsApp:

jesusnafamilia no WhatsApp:

Receba atualizações em seu e-mail!

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Esboço Bíblico - Charles H. Spurgeon

SEGUIDORES VOLUNTÁRIOS DE UM LÍDER QUE NÃO MUDA



“O teu povo se apresentará voluntariamente no dia do teu poder, com santos ornamentos: como vindo do próprio seio da alva, será o orvalho da tua mocidade”. (Salmos 110:3; ARC)

Achei difícil entender este texto. Estudei muitos livros esperan­do que poderiam ajudar-me a compreendê-lo. Nenhum deles realmente me ajudou. Então, voltei-me para o Santo Espírito de Deus. Creio que Ele me ajudou a entender o significado deste nosso texto díficil.
O Salmo 110 é como um salmo de coração. Cristo é solicitado para assentar-Se à direita de Deus: "Assenta-te à minha mão direita..." (v. 1). O cetro, que mostra que Cristo é um rei, é colocado em Suas mãos. "O Senhor enviará o cetro da tua fortaleza desde Sião" (v.2). Perguntamos: "Se Cristo é um rei, onde está Seu povo?" Um rei deve governar sobre um povo, ou não é rei algum. Sabemos que Cristo é rei. Ele é o Senhor da criação e de tudo que acontece na terra que Ele fez.
Muitas vezes pregamos para pessoas que têm corações duros. Elas não querem Cristo como seu rei. Às vezes, não temos fé para crer que Cristo achará um povo para Si. Perguntamos: "Onde encontraremos súditos para Seu reino?" Nossos receios dissipam--se quando lemos as duas promessas em nosso texto. A primeira é: "O teu povo se apresentará voluntariamente no dia do teu poder, com santos ornamentos: como vindo do próprio seio da alva". A segunda é: "... (Cristo) será o orvalho da tua mocidade". O texto nos diz que Cristo será rei. Diz também que sempre haverá muitas pessoas no reino de Cristo.
A primeira promessa refere-se ao povo de Cristo. A segunda refere-se ao próprio Cristo. Ela nos diz que Cristo sempre será um rei forte e poderoso.

1. A promessa é feita a Cristo. "O teu povo se apresentará voluntariamente no dia do teu poder, com santos ornamentos: como vindo do próprio seio da alva...".

(I). A promessa refere-se há um tempo especial. Cristo não atrairá Seu povo dia após dia. Ele trará Seu povo num dia especial. As pessoas serão levadas ao reino de Cristo "no dia do teu poder". Um homem pode pregar muito bem. As pessoas não serão atraídas pelo poder do pregador. As pessoas que ouvem o sermão podem parecer muito interessadas. O inte­resse das pessoas não as levará para dentro do reino de Cristo. O povo virá no dia do poder de Deus. Quando é esse dia? É o dia quando Deus dá Seu poder ao pregador. Os filhos de Deus serão levados ao reino de Cristo quando o pregador tiver o poder de Deus. O poder para fazer o povo entrar no reino pertence a Deus. Não pertence ao pregador.
Às vezes o pregador do evangelho sente que está proferindo as palavras que Deus lhe deu. A Palavra de Deus é poderosa. As pessoas que estão ouvindo sabem que estão ouvindo a Palavra de Deus, não somente as palavras do pregador. Esta Palavra de Deus vem aos corações das pessoas com grande poder. Algumas sentem que a Palavra é como um martelo batendo em seus corações. Outras sentem que a verdade é como uma flecha que penetra diretamente em seus corações. Essas pessoas não são capazes de resistir à Palavra de Deus. É o dia do poder de Deus em seus corações. O pecador arrependido torna-se um súdito voluntário do reino de Deus. Outras pessoas ouvem as mesmas palavras do pregador, entretanto elas não entram em seus corações. Essas pessoas não lamentam seus pecados. Elas não vêm a Cristo como seu Salvador e Rei. Não é o dia do poder de Deus para elas.
(II). O dia do poder de Deus é muito pessoal. O poder vem para cada pessoa individualmente. E como o dia em que o Senhor disse pessoalmente a Zaqueu: "... desce depressa" (Luc. 19:5). O dia em que Deus opera no coração de cada homem é o dia do poder onipotente de Deus. Nesse dia, não desejaremos discutir com Deus. Nesse dia, o povo de Deus virá a Ele com alegria e voluntariamente. No mundo todo não há poder algum que possa ser comparado ao poder que Deus exerce no coração humano. Deus mostra mais poder quando converte um pecador do que quando criou o mundo.
(III). Nós também ansiamos pelo dia em que Jesus Cristo virá para reinar sobre a terra. Naquela ocasião, toda pregação será com poder. Todo filho de Deus será saciado com o conheci­mento de Deus. Esse dia de poder será muito feliz. Orem para que esse dia de poder possa vir. Peçam a Deus para dar poder a Seu povo. Peçam para que Cristo possa vir rapidamente e encontrar Seu povo voluntário. Há outra tradução das palavras "no dia do teu poder". Essa tradução indica que "o dia do poder de Cristo" será um dia de batalha. O crente às vezes tem medo de perseguições. Eles acham que quando os dias forem difíceis, os ministros terão receio de pregar o evangelho. Isso não será verdade. Já houve tempos difíceis na história da Igreja. Nesses momentos críticos Deus sempre teve homens para lutar em Suas batalhas. Deus sempre dará Sua força a Seus homens, e eles lutarão. "O teu povo se apresentará volunta­riamente no dia da batalha de Deus". Se usarmos a outra tradução, as palavras são verdadeiras. De fato, são tão verdadeiras quanto às palavras usadas antes.

2. A promessa diz respeito a um povo. "O teu povo se apresen­tará voluntariamente no dia do teu poder...".

Cristo sempre terá um povo. Em tempos de densas trevas, Cristo sempre teve uma Igreja, um povo. Tempos mais sombrios poderão vir no futuro, mas Deus ainda terá uma Igreja. Numa passagem do Velho Testamento, Elias disse: "... eu fiquei só, e procuram tirar-me a vida" (1 Reis 19:10). Elias estava errado. Deus lhe disse que havia sete mil crentes verdadeiros escondidos na nação (1 Reis 19:18). Às vezes pode­mos sentir-nos como Elias. Nós também estaremos errados, porque Deus tem Seu povo em todos os lugares. Haverá alguns num lugar e alguns noutro. Devemos sempre tentar encontrar o povo de Deus. Essas pessoas serão voluntárias no dia do poder de Deus.
(I). A atitude do povo de Deus. Ele é um povo voluntário. A Bíblia nos diz que por natureza os homens não são voluntári­os: "... não quereis vir a mim para terdes vida" (João 5:40). O Senhor Jesus também disse: "Ninguém pode vir a mim se o Pai que me enviou não o trouxer" (João 6:40). Estas passagens do Novo Testamento concordam com nossa passagem do Velho Testamento. Todas elas dizem que o povo de Deus será voluntário no dia do poder de Deus. Pelo fato de nenhum homem ser voluntário por natureza, tem que haver uma obra da graça de Deus no coração de um homem. Somente quando houver esta obra da graça os homens serão voluntários no dia do poder de Deus. O povo de Deus deve ser um povo voluntário. Podemos dizer quem são os filhos de Deus pelo fato de serem voluntários. Prego a muitas pessoas diversas vezes. Falo a elas sobre o inferno. Aviso-as para fugirem dele. Falo a elas sobre Cristo, imploro-lhes que olhem para Cristo para serem salvas. Mas às pessoas não estão dispostas a olhar para Cristo. Ou o dia do poder de Deus ainda não veio ou elas não são o povo de Deus. Seu povo será voluntário no dia do Seu poder. Naquele dia, as pessoas confiarão suas vidas à graça de Deus; confiarão em Cristo que morreu na cruz para salvá-las.
O que tornou essas pessoas voluntárias? A única resposta é que a graça de Deus transformou sua relutância em voluntariedade. Se a vontade do homem é livre para agir certo ou errado, por que as pessoas não se voltam para Deus? A razão é que a vontade do homem não é livre. A graça de Deus deve vir e agir no coração, Somente então um homem será voluntário no dia do poder de Deus.
O povo de Deus deseja ser salvo. Assim, as pessoas desejam trabalhar para Deus. Elas vão voluntariamente à casa de Deus para adorá-lO. Elas dão generosamente quando há necessidade de dinheiro na igreja. Elas servem a Deus de várias formas, com alegria e espontaneidade, no dia do poder de Deus.
(II). Devemos notar o caráter desse povo. Ele "se apresentará voluntariamente no dia do teu poder". Ele "se apresentará voluntariamente... com santos ornamentos". Este povo volun­tário estará vestido com santidade. Estará vestido com a justiça, a santidade de Cristo. A graça de Cristo lhe é conce­dida. O povo de Cristo não tem santidade em si próprio. A santidade que tem lhe é dada por Deus. Deus transforma pecadores em santos. Somente o povo cristão tem verdadeira santidade. O povo de Cristo é um povo voluntário e santo.
(III). As próximas palavras são difíceis de se entender: “... como vindo do próprio seio da alva...". O que elas significam? Algumas pessoas dizem que estas palavras significam que o povo de Deus será voluntário desde o início da vida. A passagem não significa isso. De onde virá o povo de Deus? Como deve ser trazido? Você já viu gotas de orvalho de manhã bem cedo? Há muitas. São belíssimas. De onde vieram? A resposta da natureza é que vieram "do próprio seio da alva". O povo de Deus virá dessa mesma forma. Virá de maneira muito rápida e misteriosa, como se viesse "do próprio seio da alva", como as gostas de orvalho. As gotas de orvalho são algo misterioso. Ninguém realmente sabe como vêm. O povo de Deus também vem misteriosamente. Um pregador pode não ser eloquente ou poderoso. Então, como foram as pessoas convertidas quando este homem pregou? Elas vieram “do próprio seio da alva", misteriosamente. Quem fez as gotas de orvalho? Deus fez a gotas de orvalho. Ele não precisa do homem para ajudá-lO. O povo de Deus é salvo da mesma forma. As pessoas são chamadas por Deus e são trazidas por Deus. Elas são abençoadas por Deus. O povo de Deus vem "do próprio seio da alva".
Vocês já notaram quantas gotas de orvalho há na manhã? Há uma grande quantidade ao mesmo tempo. Todavia tudo é feito silenciosamente. Assim também os filhos de Deus virão "do próprio seio da alva". Nenhuma palavra pode realmente explicar o que isto significa. Vocês podem ficar ao ar livre de manhã cedo, quando o sol está começando a raiar. Os campos estarão brilhando com gotas de orvalho. Vocês perguntarão: "De onde vieram todas essas gotas de orvalho?" A resposta é que vieram "do próprio seio da alva"! Quando muitas pessoas são salvas, quando vocês as veem vindas de maneira misteriosa e silenciosa, podem compará-las ao orvalho da alva. Vocês perguntam: "De onde vieram essas pessoas remidas?" A resposta é que vieram "do próprio seio da alva".
3. Passemos agora à segunda parte de nosso texto. Na primeira parte, uma promessa foi feita a Cristo sobre Seu povo. Nesta segunda parte, outra promessa é feita a Cristo. "... será o orvalho da tua mocidade".

O evangelho é vitorioso porque Cristo tem o orvalho de Sua mocidade. Sempre houve líderes entre os homens. Quando esses líderes eram jovens e fortes, inspiravam os homens com coragem. Então esses líderes envelhecem. Quando estão velhos, não podem mais liderar os homens nas batalhas. O mesmo não acontece com Jesus Cristo. Ele ainda tem o orvalho de Sua mocidade. "Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre" (Heb. 13:8). Ele nunca envelhecerá. Nosso líder sempre é um Cristo jovem. Cristo era "sobre todos, Deus bendito para todo o sempre" (Rom. 9:5) em Sua mocidade. Cristo foi então revestido do poder onipotente de Deus. Ele é o mesmo agora. Ele sempre terá o orvalho de Sua mocidade.
(I). Cristo também tem o orvalho de Sua mocidade na ques­tão de doutrina. Outras religiões podem começar muito bem. À medida que passam os anos, essas outras religiões muitas vezes findam. A religião cristã é muito diferente. É tão nova agora quanto o era quando começou. É tão poderosa agora quanto o era quando Paulo a pregou em Atenas ou quando Pedro a pregou em Jerusalém. Centenas de anos se passaram, mas o cristianismo não é uma religião velha. Muitas religiões vieram e se foram desde que o cristianismo começou. Pessoas idosas que há muito tempo conhecem e amam a Cristo, consideram-nO tão precioso quanto quando eram jovens. Elas sabem que Cristo ainda tem o orvalho de Sua mocidade.
(II). Encoraja-nos saber que não pregamos uma religião ultra­passada. Pregamos uma religião que ainda conserva o orvalho de sua mocidade. A mesma religião que pôde salvar três mil pessoas no dia de Pentecoste pode salvar a mesma quantidade de pessoas hoje. Prego doutrina antiga, mas ela é tão nova quanto o era quando foi revelada dos céus. Minha espada é velha, mas não está enferrujada. Não há fraqueza alguma em minha espada. O evangelho tem hoje o mesmo poder que tinha quando ele era jovem. Pedro pregou quando o evangelho era jovem. Muitos pregadores o pregam agora, e Deus lhes dá o mesmo poder que deu a Pedro no princípio. Paulo pregou quando o evangelho era jovem. Muitos como Paulo pregam agora. Timóteo defendia a Palavra de Deus. Muitos como Timóteo defendem a Palavra de Deus agora. O Espírito Santo operou por meio de Pedro, Paulo e Timóteo. O Espírito Santo continua agindo por meio daqueles que pregam e ensinam a Palavra de Deus hoje.
(III). O povo de Cristo acha difícil crer que Cristo ainda tem o orvalho de Sua mocidade. Ele acha que os dias de grandes avivamentos, quando muitas pessoas foram convertidas, já passaram. Nossa incredulidade nos faz pensar que nunca mais veremos coisas extraordinárias. Como somos tolos! Cristo ainda tem o orvalho de Sua mocidade. Ele ainda tem o Espírito Santo de forma ilimitada. Ele deu Seu Espírito Santo a milhares de pessoas. Ele sempre dará Seu Espírito Santo àqueles que vêm a Ele em arrependimento e fé.
Por que, então, as pessoas estão cansadas do evangelho se ele ainda tem o orvalho de sua mocidade? Às vezes é porque o evangelho não vem como o orvalho. O evangelho frequentemente é pregado de uma forma muito apática. Quando é pregado assim, não tem nenhuma utilidade para os filhos de Deus. Quando o evangelho é pregado com frescor e poder, o povo de Deus nunca se cansa dele. Há um permanente orvalho e frescor envolvendo a pregação poderosa.
(IV). Se Cristo tem o orvalho de Sua mocidade, Seus ministros devem pregar Sua palavra com seriedade. A fé inabalável fará com que um homem pregue poderosamente. Graças a Deus ainda há homens que permanecem firmes na obra de Cristo. Eles pregam como os apóstolos. Cristo não está sem Suas testemunhas hoje. Ele tem o orvalho de Sua mocidade. Vira o dia em que aqueles que hoje são desconhecidos aparecerão para falar corajosamente em nome de Cristo. Supliquem a Cristo para que Seu povo possa ser voluntário no dia de Seu poder. Orem para que Cristo sempre mantenha o orvalho de Sua mocidade. Os cristãos devem lutar por Cristo, seu Rei. Ele ainda é novo e jovem. Se vocês são jovens, deixem que o entusiasmo de sua mocidade permaneça em vocês. Se vocês são mais velhos, deixem que o entusiasmo de sua mocidade volte a vocês. Se Cristo tem o orvalho de Sua mocidade, vocês também devem servi-lO com energia vigorosa.
Que Deus possa transformar muitos pecadores em voluntários. Que Ele possa trazer muitos pecadores a Seus pés. Ele prometeu que Seu povo "se apresentará voluntariamente no dia do teu poder".

Autor: Charles H. Spurgeon

Divulgação: jesusnafamilia.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário