Vínculo com a igreja:

Recado ao leitor:

Vídeo do mês:

jesusnafamilia no WhatsApp:

jesusnafamilia no WhatsApp:

Receba atualizações em seu e-mail!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Recado dos nossos filhos


 
 

A você que me ama e cuida de mim,

não me dês tudo o que peço.

Às vezes meus pedidos querem apenas ser um teste,

para ver o quanto posso pedir.

- Não grites comigo,

eu te respeito menos, quando o fazes me ensinas a gritar também.

Eu não quero fazer isso.

Não me dês ordens a todo o momento se em vez de mandar,

algumas vezes externasse seus desejos em forma de pedidos.

Assim, eu o faria mais rapidamente e com mais gosto.

Cumpre as promessas que fazes.

Se me prometes um prêmio, deve concedê-lo; assim como um castigo.

Não me compares a ninguém, especialmente aos meus irmãos.

Se me colocas acima deles, alguém vai sofrer.

Se me colocas abaixo, eu é que sofro.

Não mudes de opinião a cada momento sobre o que devo fazer ou que fazes.

Pense antes, mantendo a decisão.

Se fazes tudo por mim, serei um eterno dependente.

Nunca pregues uma mentira nem me peças que eu faça.

Isso criará um mal estar e me fará perder a confiança em tudo que afirmas.

Quando te enganas em alguma coisa, admite-o francamente.

Isso não te diminuirá a meus olhos, pelo contrário,

te fará crescer e eu aprenderei a assumir minhas faltas.

Quando souber de um problema não me digas que é bobagem,

que o tempo corrige ou que não tens tempo.

Eu preciso ser compreendido e ajudado.

Trata-me com a mesma amizade e a mesma cordialidade com que tratas teus amigos.

Pelo fato de pertencermos à mesma família,

não significa que não possamos ser amigos também.

Nunca me ordenes fazer alguma coisa quando tú mesmo não o fazes.

Eu aprendi a fazer sempre a apenas aquilo que tú dizes.

 

EU TE AMO MUITO!

 

Fonte: Escola Almirante Carneiro – SPA/RJ (carta entregue aos pais).
 – Texto com pequena adaptação minha.

Um comentário:

  1. Família - Um tesouro que nos cabe continuar a preservar.
    Identifico-me com o plano apresentado e foi assim que eduquei os meus dois filhos. Não são necessários gritos. É necessario colaboração, respeito e muito amor.
    Um dia ouvi:
    - Pai, se um dia tiver filhos, farei como me fizeste. Não precisamos de tudo. As privações também nos ensinam.

    ResponderExcluir