Vínculo com a igreja:

Recado ao leitor:

Receba atualizações em seu e-mail!

Vídeo do mês:

jesusnafamilia no WhatsApp:

jesusnafamilia no WhatsApp:

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Pré-Reforma Protestante

 
 
A pré-reforma foi o período que antecedeu a Reforma Protestante. Durante este período da história, podemos destacar alguns pontos fundamentais do pensamento dos pré-reformistas.
O primeiro movimento da pré-reforma foi o da denominação cristã dos Valdenses, liderado por um cristão, comerciante de Lyon, chamado Pedro Valdo, onde por volta de 1174 ele se convertera ao cristianismo, renunciando às suas atividades seculares e aos seus bens, repartindo-os entre os pobres, e passou através de uma tradução da Bíblia numa linguagem simples a pregar ao povo, sem ser sacerdote. Para os Valdenses, a bíblia era a fonte de toda a autoridade eclesiástica, todos deveriam ter acesso às escrituras. Seus encontros eram realizados nos lares ou em grutas, devido à perseguição da igreja católica, eles rejeitavam a supremacia de Roma e a veneração das imagens.
 
Considerado como um dos precursores da reforma no século XIV, o professor, padre e teólogo inglês John Wycliff, incomodado com o poder político e abusivo do papa e seus cardeais, lançou seus questionamentos sobre o cristianismo. Ele reivindicava o retorno da igreja primitiva, simples e modesta como na era apostólica, limitando a igreja ao ofício das questões espirituais apenas, deixando as questões políticas para o estado. Wycliff era a favor da pobreza dos padres, em função disso ele organizou um grupo chamado de Lolardos. Wycliff contesta a cobrança de impostos e taxas na Inglaterra pelos papas, denuncia o papado e a estrutura eclesiástica, alegando que não deveriam existir distinções de classes dentro do clero e negou a doutrina da transubstanciação. Wycliff foi condenado e morto através de um concílio eclesiástico, morreu defendendo que a bíblia é a única e verdadeira regra de fé e prática.
 
Outro grande pré-reformador foi o eloquente pregador, sacerdote e intelectual da universidade de Praga João Huss, um verdadeiro representante do povo nos assuntos políticos e religiosos, impulsionado por um forte espírito nacionalista, Huss lutou ao lado do povo, para que esse garantisse seus direitos contra os alemães. Huss, também foi fortemente influenciado pelas ideias de Wycliff, lutou pelo direito de pregar a verdade cristã e contra a imoralidade do sistema clerical, defendia o princípio de que o Novo Testamento era a regra de fé para a igreja, e que o poder papal só podia ser obedecido se estivesse de acordo com as leis divinas. Acabou sendo excomungado, julgado e morto na fogueira na cidade de Constança como um verdadeiro mártir do seu tempo. Sua morte acabou por suscitar um espírito de revolta nos Boêmios, fazendo com que o povo criasse um grande partido que iniciou a guerra pela independência. Seus seguidores ficaram conhecidos na Europa como Hussitas.
Esse espírito dos pré-reformistas, também teve certa influência dos místicos cristãos como Bernardo de Claraval, Johannes Tauller e Mestre Eckhart entre outros, todos eles tinham em comum, o abandono das suas atividades seculares, doavam seus bens e buscavam um entendimento mais profundo das sagradas escrituras. Agostinho foi o monge que mais influenciou os ideais reformistas e principalmente Martinho Lutero.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário