Vínculo com a igreja:

Recado ao leitor:

Vídeo do mês:

jesusnafamilia no WhatsApp:

jesusnafamilia no WhatsApp:

Receba atualizações em seu e-mail!

terça-feira, 5 de julho de 2016

Violência contra a mulher: Ciclo da violência






Em 07 de agosto de 2006 foi sancionada a Lei n.º 11.340/2006 conhecida como a “Lei Maria da Penha”. Mesmo com a lei em pleno vigor, ainda assim, tem aumentado a violência contra a mulher. Em sua grande maioria dos casos, as mulheres passam por um ciclo chamado “Ciclo da Violência”. Esse ciclo é real e a mulher que se encontra envolvida nessa situação, não consegue perceber que está inserida nessa rotatividade de comportamentos.

Com a intenção de ajudar na área de aconselhamento e manter as mulheres, que são agredidas, informadas, abaixo segue para conhecimento o chamado “Ciclo da Violência”:

1º CICLO: TENSÃO

Esta fase se caracteriza por agressões verbais e aparentemente menores, crises de ciúmes, destruição de objetos e ameaças. Nesta fase, a mulher procura acalmar o agressor, procura evitar discussões e vai se tornando cada vez mais submissa e amedrontada. Muitas vezes, a mulher sente culpa e se acha responsável pela situação de violência que sofre. As mulheres costumam relacionar ao cansaço e à bebida, as atitudes agressivas e violentas praticadas contra ela.

2º CICLO: EXPLOSÃO

Esta fase é marcada por agressões verbais e físicas graves e constantes, provocando ansiedade e medo crescente. Essa etapa é mais aguda e costuma ser mais rápida que a primeira.

3º CICLO: LUA DE MEL

Esta fase ocorre depois da violência física, o agressor costuma se mostrar arrependido, sentido culpa e remorso. O agressor jura nunca mais agir de forma violenta e se mostra apaixonado. Aparentemente a paz é restabelecida e com o tempo volta-se ao primeiro ciclo.

Muitos estudos têm revelado que a violência doméstica obedece esse ciclo vicioso composto de três fases. Esteja atenta e não espere que as fases do ciclo aconteçam. Procure ajuda profissional e não esqueça de procurar Deus, pois o melhor Ele tem reservado para você!

- Orientação para um caso de violência contra a mulher: Telefone 180.

Nenhum comentário:

Postar um comentário