Vínculo com a igreja:

Recado ao leitor:

Vídeo do mês:

jesusnafamilia no WhatsApp:

jesusnafamilia no WhatsApp:

Receba atualizações em seu e-mail!

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Casa de Oração ou Casa de Câmbio?


Antigamente o dinheiro não existia de modo que o homem realizava o comércio através de troca de mercadorias. Cada mercador avaliava a sua necessidade levando em consideração o tempo destinado, trabalho e o emprego da força para produzir tal mercadoria. Sendo assim, avaliava-se o valor das mercadorias. Uma das dificuldades encontradas nesse método de comércio era a estocagem de mercadorias e a oscilação do valor comercial. Como estocar uma grande quantidade de peixes? Qual mercadoria era a mais valiosa no momento do câmbio?

O dinheiro que hoje conhecemos é fruto de uma longa história que não cabe aqui relatar, pois não se trata de um trabalho acadêmico e sim trazer uma reflexão a cerca da influência do dinheiro dentro de nossas igrejas. Não quero também me atentar ao dízimo (que é totamente bíblico tanto no AT como no NT).

O que fez Jesus quando se deparou com o comércio à porta do templo?

“E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas;

E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões” (Mateus 21:12-13).

Cada judeu, na época de Jesus, deveria pagar metade de 01 (um) estáter no dia 15 do mês de Adar (mês de março) que era conhecido como o tributo a ser pago ao templo descrito em Mateus 17:24-17. Os estrangeiros quando viam para as festas eles traziam as suas moedas para ofertar no templo, porém as suas moedas continham ídolos e não podiam ser aceitas na adoração... aí começou o problema! Os cambistas quando souberam disso começaram a efetuar o câmbio de moedas com a intenção de enriquecer ilicitamente. O pátio do templo se tornou num comércio lucrativo, pois também faziam parte do comércio os “utensílios da fé” – cadeiras, pombas... para serem utilizados no sacrifício Jesus se deparou com a seguinte realidade: - O pátio deixou de ser utilizado para evangelização e passou a dar lugar aos negócios mercenários.

Jesus declara “minha casa” afirmando que ele é Deus e que a igreja é dele. Ele também declara “casa de oração” fazendo referência a Isaías 56:7 “Também os levarei ao meu santo monte, e os alegrarei na minha casa de oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar; porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos”.
 
 

 
Por que Jesus se referiu ao templo como sendo um covil de ladrões/salteadores?

- Porque covil significa local onde ladrões e salteadores se escondem. Jesus é incisivo ao se referir a eles, pois estavam usando o templo para por em prática o desejo de seus corações quanto à arrecadação lucrativa do comércio.
 


 
 
O que Deus espera da sua casa de oração? Cito quatro dentre tantas:

  • ORAÇÃO (1ª Timóteo 2:1 e 1ª Tessalonicences 5:17);
  • LOUVORES (Salmo 75:1, Salmo 119:171, Mateus 21:16 e Hebreus 13:15);
  • CONVERSÃO E TRANSFORMAÇÃO DE VIDAS – PREGAÇÃO DA PALAVRA (Lucas 19: 1-10); e
  • QUE PESSOAS SEJAM AJUDADAS/CURADAS (Mateus 21:14).

3 comentários:

  1. Como é estúpido as pessoas falarem do que nem se quer procuram saber ! estou falando da imagem " a maneira certa de dar o dízimo" ... o que esta escrito ao lado ta certo, mas falar que existe maneira certa ... GENTE DÍZIMO É 10% DE TUDO O QUE VC GANHA OU RECEBE !!! Pelo amor de Deus se fosse assim a viúva nem seria bem recebida por JESUS!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito agradecido pelo o vosso comentário! Deus o abençoe!

      Excluir
  2. isso é como se vocês estivessem pedindo esmola! Deus não precisa de dinheiro, Tudo pertence à Ele e todas as coisas são dEle!!!! Dízimo é 10% e Oferta é voluntária e sem limite ou regra... Deus aceita o que é de coração !!!

    ResponderExcluir