Vínculo com a igreja:

Recado ao leitor:

Vídeo do mês:

jesusnafamilia no WhatsApp:

jesusnafamilia no WhatsApp:

Receba atualizações em seu e-mail!

sábado, 16 de abril de 2016

Cinco perigos na vida de um obreiro


 

 
A vida ministerial requer atenção em muitos aspectos. É uma atividade onde muitos se empenham para chegar, mas não são capazes de se manterem. Os atrativos são grandes e muitos por desprezarem a Palavra de Deus naufragam em suas caminhadas com o Senhor. Líderes estão despencando dos altares como fruta madura quando agitada pelo o vento. Não são poucos, mas muitos!

O que está acontecendo? Quais aspectos que estão deixando de serem observados? Quais os perigos que rondam o obreiro? Vejamos:

1º - Desejo incontido de subir: Lembro-me daquelas naves americanas lançadas ao espaço com os seus astronautas. Tem obreiro que é como essa nave, quer subir desesperadamente. Essa ambição tem proporcionado comportamentos loucos e desenfreados. “Preciso subir e vou fazer qualquer coisa para isso” alguns falam. A Bíblia nos ensina que Abimeleque pensou assim:

(Juízes 9:2)

“Falai, peço-vos, aos ouvidos de todos os cidadãos de Siquém: Qual é melhor para vós, que setenta homens, todos os filhos de Jerubaal, dominem sobre vós, ou que um homem sobre vós domine? Lembrai-vos também de que sou osso vosso e carne vossa.”

Ele foi capaz de matar setenta de seus irmãos para assumir a liderança. Hoje não é diferente! Líderes ambiciosos estão passando por cima de suas lideranças, atropelando a vontade de Deus e agindo sem se importar com o que diz a Palavra de Deus. Esses que agem assim até sobem por algum tempo, porém a queda e a ruína é questão de tempo. Com Abimeleque não foi diferente e para ele também chegou a sua ruína. Veja:

(Juízes 9:53-54)

“Porém uma mulher lançou um pedaço de uma mó sobre a cabeça de Abimeleque; e quebrou-lhe o crânio.”

“Então chamou logo ao moço, que levava as suas armas, e disse-lhe: Desembainha a tua espada, e mata-me; para que não se diga de mim: Uma mulher o matou. E o moço o atravessou e ele morreu.”


2º - temperamento e ações de um ditador: Lembro-me de um amigo (não citarei o nome dele nem da igreja) que era um obreiro dedicado e liderava os jovens da sua igreja com uma reputação idônea e boas ideias nas atividades que desenvolviam. Certa vez numa reunião ministerial ele discordou da sua Pastora explicando o motivo e expondo a sua opinião. Como resultado dessa reunião foi excluído de suas funções e no trabalho da casa de Deus só era colocado para tomar conta do estacionamento.

Histórias assim estão se tornando comum nas igrejas (principalmente as neopentecostais). Bons obreiros estão sendo maltratados e magoados em face de um comportamento ditador e severo por parte da liderança. A Bíblia nos ensina que Roboão agiu assim:

(1º Reis 12:14)

“E lhe falou conforme ao conselho dos jovens, dizendo: Meu pai agravou o vosso jugo, porém eu ainda aumentarei o vosso jugo; meu pai vos castigou com açoites, porém eu vos castigarei com escorpiões.”

Essa foi a resposta de Roboão quando consultado pelos anciãos a cerca da redução da carga tributária. Repare que o filho de Salomão em momento algum avalia o que está ouvindo. Não reflete sobre a melhor decisão para o seu reino. O seu comportamento ditador e autoritário trouxe-lhe problemas. Líderes estão enfrentando problemas devido à falta de sabedoria em agir nos seus ministérios. Para Roboão a consequência foi a ruptura do reino.


3º - insubmissão: Conheci histórias de líderes que se rebelaram contra a sua liderança e “tomaram” a igreja para eles. Os que assim o fazem apresentam os seus motivos como se fossem os mais corretos do mundo – ainda que o sejam.

“SEUS MOTIVOS PODEM ESTAR CERTOS, MAS AS SUAS AÇÕES NÃO PODEM SER ERRADAS.” 

A insubmissão acontece quando o obreiro sai fora da missão de Deus para ele. Estão relacionadas à desobediência a Deus, à Palavra ou aos seus líderes denominacionais. Em relação à liderança, não sabem discernir e pedir ajuda a Deus para lhe dar direção. Acham que a insubmissão é o caminho. A cada dia cresce os “sem igreja”. Na maioria dos casos saem por não concordarem, porém não são capazes de procurarem outras igrejas. Tenho ouvido “não preciso de igreja, ou meu líder é Jesus”. Lamento dizer que não é Jesus o seu líder, e sim você mesmo! Se fosse Jesus seu líder você procuraria outra igreja.

(1ª Pedro 2:13)

“Sujeitai-vos, pois, a toda a ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior.”

 
4º - auto-suficiência: É extremamente danoso esse comportamento e um dos sintomas é não orar mais. Foi à auto-suficiência que destruiu o ministério de um dos seres mais perfeitos criado por Deus: - Lúcifer.

(Ezequiel 28:13-17)

“Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados.”

“Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas.”

“Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti.”

“Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas.”

“Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti.”

Lúcifer transgrediu contra a santidade de Deus. Quando nos sentimos melhores, superiores e não interligados com outros irmãos estamos pecando contra a santidade do ministério. A auto-suficiência leva o obreiro a olhar somente para os seus feitos de modo a declarar que sem ele nada teria acontecido. Nabucodonosor deixou entrar em seu coração auto-suficiência e declarou em Daniel 4:30 que:

“Falou o rei, dizendo: Não é esta a grande Babilônia que eu edifiquei para a casa real, com a força do meu poder, e para glória da minha magnificência?”
  

5º - não preparar sucessor: Quem você está preparando para te substituir? Ou você acha que vai ficar para sempre no comando? O líder deve pensar em possíveis substitutos e investir na capacitação deles. Olhe para a Bíblia e veja vários exemplos de treinamento e preocupação em dar continuidade à obra com o sucessor. Um exemplo clássico bíblico é o de Moisés, treinando e preparando o auxiliar Josué.

Não somos insubstituíveis no ministério e devemos saber que Deus pode contar com gente até mais capacitadas do que nós para o nosso lugar.

(Êxodo 24:13)

“E levantou-se Moisés com Josué seu servidor; e subiu Moisés ao monte de Deus.”

CADÊ O SEU SERVIDOR?

 
 

Fonte de consulta: Apostila Teológica de Base Ministerial (STNB – Igreja do Nazareno).

Nenhum comentário:

Postar um comentário